Editor: Henrique Magalhães
Rua Maria Elizabeth, 87/407
João Pessoa, PB. 58045-180
Brasil
Tel: (83) 998.499.672

Pedidos por transferência ou depósito bancário:
Banco do Brasil
Agência 1619-5
Conta 41626-6.

Envie por e-mail cópia do comprovante de depósito e o endereço para entrega.

Contato
marcadefantasia@gmail.com
www.marcadefantasia.com

Janeiro de 2017
Independentes brasileiros em Angoulême

A cidade de Angoulême, na França, promove no final de janeiro de 2017 mais uma edição do Festival International de BD d’Angoulême, o mais prestigiado evento voltado aos quadrinhos no continente europeu. Entre as inúmeras exposições de autores consagrados no meio profissional, lançamentos de álbuns, entrevistas, palestras e premiações para os lançamentos do mercado, destaca-se o prêmio para as edições independentes.

Particularmente, esse prêmio é importante por prestigiar a produção amadora, estimulando os autores em formação e a experimentação gráfica e editorial. O “Prix de la BD alternative”, a ser entregue no dia 28 de janeiro, é o único prêmio que não está vinculado aos lançamentos locais/nacionais, como ocorre com as produções comerciais francesas. Nele concorrem editores das mais diversas nacionalidades, em que os brasileiros têm estado habitualmente presentes.

Capa de Mundo Paralelo, de Klattu

Os fanzines e revistas independentes que concorrem no festival devem ter sido lançados no ano anterior, como é o caso das quatro publicações brasileiras selecionadas ao prêmio: Mundo Paralelo, de Walter Klattu; La bouche du monde, do franco-brasileiro Eduardo Pinto Barbier, radicado em Narbonne, França; Maria Magazine e Top! Top! de Henrique Magalhães, pela editora Marca de Fantasia.

Mundo Paralelo: aventura e ficção é uma revista em quadrinhos que reúne um bom número de autores brasileiros consagrados e outros em ascensão no meio, de Eduardo Cardenas a Rodrigo Rosa, Ric Milk, Caio Majado, João Azeitona, Walter Pax, Seabra, Julio Brilha, Fabio Cobiaco, Mozart Couto, Gian Danton e o próprio editor, dentre outros. Tomando como lema o “insólito” e o “fantástico”, a revista apresenta estilos variados guiados pela ficção científica e pela fantasia. A semelhança com as revistas coletivas que marcaram a década de 1980 não é mero acaso, donde o subtítulo faz referência a uma cultuada revista da editora Abril. Veja mais em http://revistamundoparalelo.blogspot.com.br/2016/11/mundo-paralelo-quadrinho-nacional-de.html e http://revistamundoparalelo.blogspot.com.br/2016/10/resenha-da-mundo-paralelo-1-por-thiago.html.

Capa de La Bouche du Monde, de Barbier

La Bouche du Monde é uma coletânea de quadrinistas oriundos de toda parte, que têm na publicação um meio de expor sua arte. Mais que uma revista, é o sonho de um garoto nascido no Norte do Brasil e que hoje vive na França, que viu a evolução de seu simples fanzine em uma revista que figura na seleção oficial de um dos mais importantes festivais de HQ do mundo, o de Angoulême.

Como realça Barbier, mais de 60 autores passaram pelas páginas da revista, quer sejam desconhecidos ou celebridades em seus países, mas que guardam a mesma paixão: os quadrinhos em todos os seus estilos. A edição que concorre em Angoulême é dedicada aos quadrinhos de horror, com dossier sobre os quadrinhos brasileiros do gênero. Veja mais em https://labouchedumonde.blogspot.com.br/2015/06/la-bouche-du-monde-13.html.

Capa de Maria Magazine, de Magalhães

A personagem de tiras humorísticas Maria, de Henrique Magalhães, completou 40 anos em 2015. Tanta longevidade para a criação de uma HQ brasileira rendeu várias homenagens e comemorações, donde a edição número 7 da revista Maria Magazine foi uma delas.A revista foi lançada por ocasião da Tertúlia HQ, realizada já em 2016 pela Gibiteca Henfil da Paraíba e pelo Grupo de Pesquisa em História em Quadrinhos da UFPB, em que se promoveu a reunião de fãs e pesquisadores do universo da personagem para uma bate-papo informal e afetivo. A revista faz ainda as vezes de catálogo da exposição com um balanço da trajetória de Maria. Participa da edição como convidado o quadrinista paraibano Igor Tadeu.Veja mais em http://www.marcadefantasia.com/nasparadas/nasparadas-2016-2020/nasparadas-2016/tertuliahq-companheira-maria/tertuliahq-companheira-maria.html.

Capa de Top! Top!, de Magalhães

O fanzine Top! Top! foi a primeira publicação da editora Marca de Fantasia, lançada em janeiro de 1995. Em 2010, após 26 edições com a participação de autores icônicos dos quadrinhos brasileiros, o fanzine deu uma parada, para retornar em 2016 com a mesma proposta, de ser um veículo de reflexão sobre os quadrinhos, focado na HQ brasileira. Na edição 27, dedicada à obra do quadrinista Maurício Pestana, temos uma longa entrevista em que o autor aborda várias expressões de sua arte, bem como seu engajamento na luta contra o racismo. São reproduzidos vários cartuns e quadrinhos de Pestana num painel que mostra a importância de sua obra. Veja mais em http://www.marcadefantasia.com/revistas/toptop/toptop-27/toptop-27.html.

As quatro publicações que representam o meio independente brasileiro ganham destaque não só pela qualidade das edições tanto em conteúdo quanto em qualidade gráfica. Numa seleção de 31 publicações, o país participa do festival com mais de 10%, o que é muito, considerando a amplitude mundial da premiação. Ganhar, ou não, é uma ocorrência de menor grau nesse contexto, levando-se em conta também a dificuldade que os estrangeiros têm em lidar com nossa língua. Estar em Angoulême passa a ser, desde já, uma premiação.

Henrique Magalhães